Falar sem se empenhar é nada!

Total de visualizações de página

24 de mar de 2011

Consulta pré-anestésica

     Ontem fui ao Anestesista  (Dr. Hypolito - contato na página "Eu Indico")a consulta foi muito tranquila, conversamos bastante...
     Ele explicou que serão duas anestesias, a Raqui e a Geral... a primeira para evitar dores quando acordar na Uti. Ótimo!!! Quando menos dor, melhor... se bem que, sejamos realistas, já soube que não tem tempo bom :-/
     Ele também falou que durante o pré operatório me visitaria no quarto do hospital, acompanharia todo o procedimento cirúrgico e faria algumas visitas no pós.
     Ficou super a disposição para tirar dúvidas e amenizar terrorismos sobre Anestisia... Adorei!

Aqui vai uma pesquisa:



Tudo que você precisa saber sobre anestesia.
Os tipos, as indicações e o que conversar com o médico anestesista.

     Anestesia é um estado de ausência completa de qualquer sensação. Apesar de o termo ser amplo, seu uso refere-se principalmente ao procedimento médico para evitar que o paciente sinta dor.

     Existem diversos tipos de anestesia, cada uma com sua indicação.
     O anestesiologista ou médico anestesista é o profissional que induz a anestesia, monitora todas as funções vitais (batimentos cardíacos, respiração, pressão arterial, temperatura corporal), mantendo-os normais ou estabilizando-os quando necessário.
     Em casos onde o paciente será submetido a procedimento cirúrgico, é comum uma consulta pré-anestésica, onde o médico anestesista avaliará o tipo mais indicado. Durante esta consulta são considerados:

•História médica pregressa e atual do paciente,
•Tipo de cirurgia a ser realizada,
•Tempo operatório,
•Exames físico e complementares do paciente.

     É essencial informar todo medicamento, chás e suplementos alimentares do qual a pessoa fez uso nas últimas semanas, além de alertar sobre alergias alimentares e medicamentosas.
     O anestesista orienta sobre o jejum pré-operatório, que deve ser em geral de 8 horas para alimentos sólidos ou leite e de 6 horas para líquidos.

Tipos de anestesia

Anestesia geral.
     Na anestesia geral a administração de medicamentos mantém o paciente inconsciente, sem dor e imóvel durante todo o procedimento. Está indicada para cirurgias do abdome, tórax, cabeça, pescoço, cirurgias neurológicas e cardíacas. Cirurgias em crianças são realizadas, normalmente com anestesia geral para evitar movimentação brusca durante os procedimentos.
     A anestesia geral pode ser aplicada por via venosa, inalatória ou ambas.

Anestesia regional.
     Anestesia regional é realizada com a administração de medicamentos em apenas algumas áreas do corpo. Este tipo de anestesia inclui:

Anestesia Raquidiana. Realizada com anestesia local, nas costas, com deposição do anestésico no líquor. O paciente fica com os membros inferiores e parte do abdome completamente anestesiados e imóveis.
Anestesia Peridural. Realizada pela adição de anestésicos locais nas costas próximos aos nervos que transmitem a sensibilidade dolorosa. Neste caso é possível se realizar o bloqueio de apenas algumas raízes nervosas.

     As diferenças entre raqui e peridural, são as quantidades totais de anestésicos, o local onde cada anestésico é administrado e o tipo de agulha utilizada.
     Ambas têm vantagens e desvantagens - O anestesiologista, durante a consulta pré-anestésica, é a pessoa mais qualificada para esclarecer suas dúvidas sobre ambas.

Bloqueios de nervos periféricos. Este tipo de anestesia o anestésico é administrado apenas ao redor dos nervos que inervam o local da cirurgia. Por exemplo, cirurgias sobre um dedo da mão podem ser realizadas com bloqueios dos nervos que inervam a mão.

Anestesia local.
     Realizada com a infiltração do anestésico em uma determinada área do corpo, sem que ocorra bloqueio de um nervo específico. A anestesia limita-se à área infiltrada, por exemplo: cirurgias plásticas e dermatológicas, extração de corpo estranho superficial, cirurgias odontológicas.

Risco da anestesia

     Com medicamentos, instrumental, novos monitores e técnicas modernas, o anestesista reduz ao máximo os riscos de uma anestesia, mas é impossível que sejam nulos.
     Alguns fatores aumentam o risco da anestesia:

•Operações de grande porte e prolongadas;
•Condição clínica ruim do paciente;
•Emergência e ausência de preparo pré-anestésico.

Fonte: http://www.bancodesaude.com.br/saude-homem/tudo-sobre-anestesia

2 comentários:

Hellen Taynan disse...

Eu amei Dr. Hypólito, mas no dia foi outro Dr. Thiago q tbm era mto atencioso, foi várias vezes me ver!
Bjos

O MuNdO dA LuA disse...

Então... inicialmente tinha marcado pra Dr. Thiago, mas como a minha será na terça, quem estará lá é Dr. Hypólito :-)
Mas que bom que as referências de ambos são boas!!!
Beijo